sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sobre o amor.

O Amor é uma combinação de letras mal feitas,em linhas tortas.

...é um apelo para a paz interna.

Quando se ama não ha mais paz.

Amar é dar um tiro na alma esperando que no final alguém a compre.

Rabiscos

O barulho do ventilador me lembra o da chuva fina de verão.
Assim naquele lugar bonito eu pensava...só o som da  cachoeira la fora combinado com o ventilador que murmurava.
 Meus pés cansados,colocados para fora do lençol branco,e a passagem de segundos do relógio que positivamente não existia.
Estávamos sós.
A alegria cantando no meu pulso e a paz de uma respiração solene.
A garoa gelada que caia,o cheiro fresco da grama verde...estrada,poeira,terra e asfalto.

A entrada, o chaveiro,a vista,o quarto.
Ele se despia parcialmente e se jogava naquele espaço especialmente projetado por nossas vontades.
Olhos claros,o silêncio continuo,perceptivo somente para o som que aquele espaço recebia.
 Uma voz serena, arrastada,com pausas preguiçosas..

Ah...Ele.

Merecidamente percebi que não era o lugar e sim somente ele já me bastava.

Prefácio

As visões diárias que devem descartar e aprovar o comportamento humano.

Não mais.

Estou desligada nesse momento.
Me desligo de todo o sentimento particular.
Estamos aqui, eu e meus sentidos, parados,como estátuas  brancas em jardins coloniais.
Nao resta duvidas do que sou enfim ....opcional.
Talvez nem seja tudo assim,interessante. As mudanças geralmente constatam minha meia duzia de humores.
Me mudo assim.
Outra estação...
Você ? Não mais.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Quieta

Aflita esta.
Talvez com a vista embaçada,e a voz embaraçada.
ombros caídos,
descida profunda.
Tristeza redundante,idas e vindas.

Voltas.

Caindo do precipício,
Preciso acordar.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Luz

Os olhos dele refletiam a luz quente do sol,

Seu hálito era de café e mel.

Nas entrelinhas surgia a admiração...

...e o colher de uma amor combinado.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Parentesco

Hoje sou parente da tristeza e irma da mágoa..
 Prima do ódio e filha da fraqueza.
Mãe da Razão, Pai da insensatez.
Sou cunhada da compaixão e sobrinha do desespero,sozinha num barco furado.
Neta do vazio.
 Avô da conivência.
Nora do preconceito, amiga das horas perdidas.

Parente das mas línguas, ora grandes e turvas. Indago ser amante da solidão.
Camuflo, me despeço.
Por horas me meço.
Sou a vaidade do lado avesso.