segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Janela da Alma

Há uma tempestade em mim,
Tênue.
As flores do meu coração murcham, com o passar das fases que crio.
Coloco a venda meu vendaval e preparo meu copo para o furacão.
Estou despida de bagagens, pronta para o êxtase em estar só.
Meio cheia de nada, meio vazia de tudo.
... e a interrogação a nos contemplar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem Vindo;